Você sabe o que é Internet das Coisas?

Se a resposta for não, está mais do que na hora de saber!

O ano de 2017 foi previsto, no Brasil, pela consultoria IDC, como o ano da Internet das Coisas. E, ao que parece, a previsão estava certa!

Mal completamos o quinto mês do ano e já temos um cardápio recheado de eventos sobre o assunto.

Enquanto pulávamos o carnaval por aqui, Barcelona era movimentada pelo Mobile World Congress, que por sua vez, apontou a IoT ( Internet of things, como é chamada mundo afora), como tema principal do encontro. Durante os primeiros meses do ano, o tema foi discutido em peso nos eventos e congressos de T.I, e antes do fim do primeiro semestre de 2017, a agenda de eventos sobre o assunto continua firme e densa, até dezembro – inclusive, em encontros aqui no país.

É possível que você não saiba o significado técnico desse termo, mas, com certeza, já experienciou, de alguma forma, a IoT. Por exemplo, não são poucos os filmes que utilizam de internet das coisas em seus roteiros.

 

Imagem divulgação: filme “Her”

No filme Her, o personagem principal, Theodore, apaixona-se por um dispositivo provido de inteligência artificial – conhecido como Samantha –, que usa da IoT para ajudá-lo a se organizar nos mais diversos âmbitos de sua vida – lendo e-mail para Theodore, lembrando-o de sua agenda diária, tocando músicas específicas que o próprio personagem sugere, entre outras atividades.

 

O início

No começo da década de 90, o cofundador da Sun Microsystems formulou a ideia de Device para Devices, um conceito elaborado dentro de um conceito maior, chamado de ''Várias Webs'', que vislumbrava a conexão de objetos entre si.

Mais ou menos oito anos depois, o cofundador do Auto-ID Center, no MIT (Massachusetts Institute of Technology), Kevin Ashton, propôs o termo ''internet das coisas'', uma década antes de escrever o artigo '' A coisa da internet das coisas''.

Ashton defende a ideia de que a internet das coisas seria o ponto de encontro em que não usaremos mais um computador, e sim, o computador se usará, para tornar a vida mais eficiente.

Complicado de entender?

Imagine-se dirigindo para casa no fim de um dia de trabalho, quando recebe um alerta, em seu dispositivo móvel, que precisa passar na supermercado para comprar ovos. O recado foi mandando pelo seu sistema de gerenciamento da geladeira, que conectado ao seu celular e, consequentemente, a seu GPS, notou a falta do mantimento e o alertou antes mesmo que chegasse em casa, para depois não precisar sair novamente, só para fazer a compra.

Isto é a internet das coisas.

 

 

Ou seja:

É chamada de Internet das coisas a conexão entre dispositivos eletrônicos, como eletrodomésticos, meios de transportes e eletroportáteis, internet e entre si.

Podemos dividir a internet em três fases, desde sua criação:

·Na primeira fase, simplificadamente, a Internet era uma rede que interligava máquinas, formando uma rede de computadores;

·Com o passar do tempo, a internet se integrou à vida das pessoas e passou a ser uma rede de conexão entre pessoas e comunidades;

·Atualmente, estamos entrando na terceira fase em que a internet passa a ligar diversos tipos objetos e dispositivos inteligente que vão interagir conosco.

Isso quer dizer que nesta fase passamos por um processo em que os itens do dia a dia, como carros, roupas, geladeiras, passam a ser conectados à internet e com outros dispositivos. Formando, dessa forma, uma rede de comunicação direta entre eles.

O conceito pode até parecer um tanto quanto futurístico, mas isso se deve ao fato de estarmos tão imersos num mundo tecnológico, que acabamos incorporando essa realidade em nossas vidas cotidianas, muitas vezes sem perceber.

Atualmente, já é possível automatizar muitos aparelhos na sua casa, ou na sua empresa, e controlar tudo através de deu celular ou Ipad. A diferença é que com a IOT você deixará o controle de lado e os objetos poderão simplesmente reagir a sua presença.

 

Talvez você esteja se perguntando a essa altura: ''Mas por que preciso saber sobre IoT''?

O mercado e as pesquisas sobre a internet das coisas vêm crescendo a cada dia e precisaremos, muito em breve, saber lidar com essa tecnologia toda que, inclusive, vem sendo alvo de investimentos nas companhias mais importantes dentro do país.

 

Victória Cócolo é
Social Media na W3.0